terça-feira, 28 de dezembro de 2010

"Há Tanto Tempo Que Te Amo" e o resgaste das relações




À primeira vista, o título" Há Tanto Tempo Que Te Amo" pode levar a pensar que este filme francês se trate de um drama romântico sobre paixões reprimidas e amores não concretizados. Nada mais enganador. A frase vem de uma música que tem uma grande importância para as duas irmãs protagonistas da história e que as remete ao resgate de um doloroso passado.

A personagem principal da trama, Juliette (Kristin Scott Thomas), sai da prisão após 15 anos. Cumpriu a pena por assassinato. Ainda em condicional, terá que comparecer a Delegacia a cada 15 dias, para assinar um prontuário. Aqui, acaba por despertar a simpatia do Delegado. Ambos, amargurados pelo rumo que tomaram suas vidas. Ainda comentando um pouco sobre essa relação, parte dele um outro crédito a ela para uma volta à sociedade. Mesmo não sabendo o porque ela fez o que fez, ele credita nela uma oportunidade de um recomeço.

Juliette aceitou o seu crime. Nada poderia lhe doer mais do que tivera que fazer. Mas houve uma dor se não maior, tão dolorida quanto. A de ser excluída pela própria família: os pais e uma irmã caçula. Todos aqueles anos, sem nenhum contato.

Mas é essa sua irmã, Léa, que a acolhe em sua casa. Junto a sua família. Pois agora, não era mais a menina que fora obrigada pelos pais, a esquecer de Juliette. Ainda ressentida, já deixa claro que quem a procurou fora o pessoal do Serviço Social. Léa entende a armadura da irmã, e diz que eles fizeram muito bem em procurá-la.

Quem ela matou, é dito logo no início. O porque, apenas no finalzinho. Deixo a sugestão que não fiquem voltado apenas nisso. Pois além de perderem um pouco do crescimento dessas duas mulheres – e isso eu ressalto por mostrar o universo feminino com muita sensibilidade -, poderão não perceber tudo mais. No que resultou na vida de todos com aquela tomada de decisão de Juliette a quinze anos atrás, como na dos demais com a convivência atual com ela.

Um outro ponto que quero salientar, é sobre o de empregar ex-detentos. Eu destaco isso também num outro filme, recentemente. No ‘Evidências de um Crime‘. Quando esse assunto é abordado num filme, abre caminho para uma diminuição no preconceito que há no mundo real. Essa chance deles voltarem de fato a sociedade após cumprirem sua sentença. Tendo um emprego já terão como começar uma vida nova.

‘Há tanto Tempo que Te Amo‘ é um líbelo ao amor fraternal. Mesmo a mais forte das criaturas, há de chegar uma hora que vai precisar da mão estendida de alguém não tão forte. Às lembranças pesadas, o tempo se encarregará em apagar. São, foram os espinhos…

O filme aborda um outro tema, que de certa forma também é algo que ainda não é tão aceito pela sociedade. Dai, também é interessante o debate que fará surgir após assistirem. Mas é melhor parar por aqui, para não correr o risco de trazer spoiler.

Assistam! É um filme belíssimo! Nota 10.


12 comentários:

  1. Deu vontade de assistir o filme... hahahaha
    Excelente recomendação ! :D

    ResponderExcluir
  2. Olá Evandro
    Vim te conhecer, pois acabo de ganhar um selo do William e parece que ele se originou aqui.
    Então vim na fonte.
    Já gostei da dica do filme. Vou procurar assitir.
    Gostei também de como vc descreveu o William no seu comentário.
    Desejo a vc Paz e Sucesso neste 2011
    Gratidão
    Zizi

    ResponderExcluir
  3. Parabéns por esse blog...cultura, informação...adorei!!! Lindo trabalho!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Puxa apsar d eu não curtir filmes, notei que esse vale a pena assistir...
    ótima dica...
    E tu sempre culto em suas informações e indicações...
    Forte abraço

    ResponderExcluir
  5. Como vai Evandro, tudo bom?
    cara, revendo os ultimos comentários que eu postei encontrei um dos seus mencionando sobre o selo do seu blog. Muito obrigado pela indicação, fico feliz por ter sido lembrado pelo seu blog.

    No cometário vc pediu para entrar em contato em caso de adquiri-lo. Como faço para postar em minha página?

    valew amigo, abraço!

    ResponderExcluir
  6. valeu a dica ! logo no começo do ano tratarei de ver ... esse tema me atrai bastante e cinema é sempre bom d+

    ResponderExcluir
  7. Excelente resenha, Evandro!

    Você nos apresentou "Há tanto Tempo que Te Amo" com uma qualidade textual riquíssima. Quem é que não está sujeito ao erro? Quem nunca irá precisar de uma mão estendida? Essa temática lembrou-me do romantismo de Rousseau: "o homem nasce bom, a sociedade é que o corrompe". Nessa perspectiva, todos têm sua parcela de responsabilidade pelos fatos sociais e nada mais justo do reparar os erros com novas oportunidades...

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Amei o teu blog. Fiquei com extrema vontade de assistir a esse filme. Você se expressa muito bem. Visite os meus blogs também, são sete. Você encontra o endereço deles em cada um. Beijão

    ResponderExcluir
  10. www.marquesiano.blogspot.com
    www.degraucultural.blogspot.com
    http://wwwpalavraseimagems.blogspot.com
    http://wwwencontropelocaminho.blogspot com

    ResponderExcluir