segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

A Paixão Segundo GH




 G.H. é uma personagem que não tem nome, só iniciais -  isso já  diferencia a obra de um romance comum. Ela mesma descobre, no processo, que até estas iniciais são algo superficial, são só uma etiqueta nas suas valises chiques que estão empoeiradas no quartinho. Isto é, em vez de ser a construção de uma trajetória de vida de uma personagem como uma narrativa convencional, A paixão segundo G.H. é a trajetória de uma diluição de uma personagem. Ela já não era nada de especial, mas até isso desaparece por um tipo de fusão com o todo, com o cosmo ou com a matéria. Se anteriormente ela já sempre percebia que só se conhecia pelo "negativo", observando numa foto o que ali não estava dela, ao final ela experimenta a necessidade da auto-anulação na identificação com o Deus e o mundo:
Eu estava em pleno seio de uma indiferença que é quieta e alerta. (...---) De um Deus que, se eu amava, não compreendia o que Ele queria de mim. Sei, Ele queria que eu fosse o seu igual, e que a Ele me igualasse por um amor de que eu não era capaz. Por um amor tão grande que seria de um pessoal tão indiferente - como se eu não fosse uma pessoa. Ele queria que eu fosse com Ele o mundo. Ele queria minha divindade humana, e isso tivera que começar por um despojamento inicial do humano construído.

9 comentários:

  1. Estão excelentes as postagens especiais para Clarice, estou amando acompanhar. Esse é um livro de Clarice que ainda não li, mas chego lá, quero ler todos, até os infantis.

    "Ler Clarice Lispector é contaminar-se de Clarice. Esse contaminar-se leva à condenação. Ao nos vitimarmos dela, já podemos divinizar as coisas, principalmente as mais insignificantes". (José Batista de Lima)

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Tb estou amando as postagens sobre a Clarice. Esta obra é maravilhosa e super indico a todos...maravilha!!!!
    Um forte abraço, meu caro amigo. Te desejo uma ótima semana e aproveito para te agradecer pelo depoimento deixado em meu blog no post sobre o dia mundial de luta contra a aids.
    Com sua contribuição vc só ajuda a esclarecer ainda mais sobre o assunto e principalmente, acabar com o preconceito que infelizmente ainda existe, mas eu creio: isso vai mudar!

    Passa lá no blog, tem post novo!
    www.nicellealmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Nooossa! Já me encantei com a tua descrição. Adoro as crônicas da Clarice! Tem sempre uma que se adequa ao meu dia, depois que chego e procuro algo para ler.... QUANDO procuro...XD

    Beijão! Belo Post e livro anotado!

    ResponderExcluir
  5. Retribuindo a sua especial visita em meu blog "Sem Omitir o Real Cotidiano", aproveito para espiar e elogiar seu blog, que por sinal tem artigos muito interessantes.
    Clarice Lispector tem ótimos livros, ainda não li este, por sinal, li muito pouco seus livros... mas sei o quão bem ela escreve.

    Estou te seguindo. se tiver msn pra contatos deixa lá no meu blog? ...
    Abraços. :D

    ResponderExcluir
  6. Minha Escritora favorita!
    Amo Clarice!
    Preciso voltar a ler!
    Bela dica!
    Acredito que ninguém construa melhor uma frase do que ela! É uma divindade!

    ResponderExcluir
  7. Evandro, como tá a viagem? Já está de volta? :)
    Obrigado pelo blog amigo!

    E, confesso: pouco entendo (ainda!) d'A Paixão Segundo GH. Clarice é tão densa nesselivro que me perco,afundo e não consigo retomar o ponto de partida.
    Mas não é à toa que farei Letras. ;)

    ResponderExcluir
  8. parabens pelo conteudo do blog,adoro ler livros1

    ResponderExcluir
  9. Evandro, este livro é inesquecível para mim.Foi o primeiro livro de Clarice que li e fiquei arrebatada. daí em diante sou apaixonada por toda obra dela.

    ResponderExcluir